Aliá – Tornando Israel um lar

Aliá - Tornando Israel um lar

Desde a criação do Estado de Israel foi prestada assistência à Aliá de mais de três milhões de judeus. O futuro de Israel depende da continuação do processo de Aliá e é uma prioridade nacional trazer a Israel judeus de todo lugar do mundo.

Durante vários anos, os judeus da diáspora tiveram uma vida religiosa e cultural segura e a imigração para Israel era uma decisão ideológica. No entanto, o aumento do antissemitismo em países como França e Ucrânia tornaram a Aliá uma necessidade.

Para atender à crescente demanda por serviços de Aliá, houve um aumento de infraestrutura e de pessoal em escritórios de apoio em diversos países, com o intuito de assegurar o bem estar das comunidades judaicas e garantir a disponibilidade em centros de absorção de Israel para lidar com o fluxo de novos imigrantes.

O suporte e preparativo para a Aliá de um novo imigrante inclui orientação profissional e vocacional, curso preparatório para a universidade, aulas de hebraico, judaísmo e sobre sociedade israelense, liberação de visto e a passagem área. 

Nossa missão é investir em imigrantes, pois são fundamentais para a sobrevivência de Israel. Eles tornam o país numericamente mais forte, estimulam o mercado profissional e ampliam a diversidade cultural. Um Estado de Israel forte é a garantia de um futuro promissor e seguro para os judeus ao redor do mundo. 

Realizações

  • 1 milhão de novos imigrantes nos últimos 15 anos
  • O centro global de serviços opera 22 horas por dia, 6 dias por semana,
  • Em 7 línguas: inglês, francês, espanhol, russo, português, hebraico e aramaico.
  • 24.500 pessoas fizeram aliá em 2014, 34% em relação ao ano anterior:
    • 9.500 da ex-União Soviética (aumento de 57%)
    • 7.000 da França (quase o dobro em relação a 2013)
    • 4.500 da Ucrânia, e outros 5.400 começaram o processo de Aliá.

Depoimentos

Rafael Leeraar, Holanda – Imigrante novo
Quando falei com Juden, da Agência Judaica, senti que já estava em casa, em Israel. Todo o processo de imigração é muito especial. 

Yigal Palmor, porta-voz Agência Judaica para Israel
Obviamente têm aliá da Ucrânia por causa da guerra, e da Russia pela difícil situação econômica, mas há muito mais aliot da França, Itália, EUA, Brasil…

Jessica Bensimon, escritório Centro Global França
Por causa dos ataques, os telefonemas aumentaram vertiginosamente. Em janeiro recebemos 11.000 chamadas, foi uma loucura. As pessoas estavam ansiosas, eu mesma atendi pessoas que choravam ao telefone. 

Gregory Umansky, escritório centro global, Ucrânia
Estamos trabalhando de forma muito árdua para ajudar essas pessoas. Recentemente foi instalado, na região de Dnepropetroska, um campo para os refugiados de zonas de combate. Famílias são levadas para Israel em verdadeiras operações de resgate, muitas vezes não é possível sair das áreas de conflito se não for em carros blindados.

Conheça o “Global Center da Agência Judaica”, que dá todas as informações e suporte para quem quer fazer Aliá.